© 2013 rachel bonino as cheirosas

As Cheirosas

03 jul 2013

Todas as mulheres que vendem ervas frescas e medicinais ou preparados para banhos no Ver-o-Peso são chamadas de cheirosas. São 80 barracas estreitas e entulhadas, que se dividem entre plantas in natura de folhas variadas, e outras forradas por vidrinhos e garrafas que carregam os segredos amazônicos. Qualquer doença tem sua cura por ali entre as infusões e misturas de ingredientes como o murerê, o jambu, as cascas de jatobá e de caju, o guaraná, entre tantos outros.

Socorro Loura: de garrafadas para combater gastrite até viagra natural

Socorro Loura: de garrafadas para combater gastrite até viagra natural

A Socorro Loura tem barraca há 28 anos na feira. Chega todo dia às 6h sem hora para sair. A procura dos turistas e da população local é pela variedade de soluções que ela inventou, como as garrafas de banho pra combater câncer de próstata, colesterol, gastrite, pra sorte nos negócios e defesa, e até solução para quem quer engravidar. Também tem perfumes, como o de priprioca, e pomada para evitar acne feita à base de gordura de tartaruga. Ela garante que tudo ali é natural e que a cura é certa. Há de se acreditar!

A cada ano a Loura inventa um novo produto. O deste foi a cachaça de jambu. Sim, é remédio! Cura estresse, cansaço, e é indicado para o coração, diz o rótulo. Além de servir “como vitamina C”. Tomarei em doses homeopáticas, Loura, pode deixar!

Dona Izabel e suas ervas medicinais

Dona Izabel e suas ervas medicinais

Outra figura entre as cheirosas é Dona Izabel Trindade da Silva que há 42 anos vende plantas frescas e medicinais na feira. Depois que o marido comprou um livro sobre ervas locais, ela começou a pesquisar as propriedades de cada planta que catava no mato. Comprou barraca no Ver-o-Peso e hoje é uma das mais antigas por ali.

Do alto dos seus 76 anos, ela não titubeia na hora de listar as ervas mais procuradas na barraca: tem o Desatrapalha, Busca-longe, Abre-caminho, Chega-te-a-mim, Chora-nos-meus-pés, Carrapatinhos, cada um com um objetivo que ela recomenda de acordo com o pedido do freguês. “Antigamente, as pessoas só se tratavam com ervas medicinais.”

Bom, se as infusões, os banhos e os preparados funcionam, não sei dizer. Mas já garanti meu macinho de Desatrapalha para abrir os horizontes! ;)

 

*Ei, você! Quer sempre saber das últimas do Sacola? Então curte a  página do blog no Facebook!

 

compartilhar:

Um comentário

  1. Postado setembro 21, 2014 em 7:35 pm | #

    Amei o post! Parabéns! Coisas que só vemos no Pará, né? Um beijo!

Deixe seu comentário

Seu email ainda não foi publicado. * Campos obrigatórios

*
*